BOM COMEÇO

Após estreia como titular, Willyam sonha alto

POSTADO EM: Terça-Feira, 06/02/2018, 08:07:37
ATUALIZADO EM: 06/02/2018, 08:07:37

zoom_out_map
Jorge Luiz/Paysandu

No empate sem gols com o Paragominas, domingo último, o técnico Marquinhos Santos surpreendeu ao mandar a campo o volante Willyam, que finalizou sua passagem pelas categorias de base na Curuzu, no sub-20. Foi a primeira vez que o meio-campista maranhense foi titular com a camisa bicolor. Atuação que foi elogiada pelo comandante. “Me agradou a estreia do Willyam. É um garoto que vinha trabalhando bem no dia a dia, ganhou nossa confiança e que nos deu uma resposta muito boa”, disse Marquinhos.

Para o jogador, a primeira vez teve contornos de nervosismo e superação. Ele reconhece que nos minutos iniciais ele estava um tanto tenho em campo, mas que aos poucos o sentimento foi passando, ficando apenas a concentração no que tinha que fazer.

“Achei minha estreia boa. Não sabia que ia ser titular. O professor Marquinhos me chamou na preleção para conversarmos, perguntou se estava bem e disse que estava preparado. Não sei se fui bem no primeiro tempo, acho que estava pouco à vontade. No segundo me soltei mais, peguei mais na bola”, disse. “No primeiro tempo bateu um nervosismo, sim. Nunca tinha sido titular e de cara o jogo foi mostrado para todo o Estado pela TV. Não podia fazer besteira. Aos poucos fui ficando mais tranquilo”, completou.

O volante chegou a Curuzu ano passado, o último ainda como sub-20. “Estava quase desistindo do futebol. Pensei em dar meu melhor no que poderia ser meu último teste. Fui aprovado e relacionado para alguns amistosos”, lembra. Depois de um treino contra o profissional, Marcelo Chamusca o levou para o elenco profissional. Mesmo a troca de comando técnico não significou uma volta à base. Pelo contrário, passou a ser relacionado para os jogos da Série B e chegou a entrar em campo na rodada final, contra o Figueirense-SC.

Segundo Willyam, o sonho é seguir os passos de ex-bicolores como Pikachu e Leandro Carvalho, que foram para clubes da Série A. “Todo garoto sonha com algo melhor. A gente quer sempre crescer na carreira, ser conhecido no Brasil. Tem a parte financeira que também pesa muito, pois preciso dar condições melhores à minha família. Sei que tenho capacidade pra isso”.

(Tylon Maués/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment