É MUITA DÍVIDA

Diretoria azulina terá que arrumar outra fonte de receita para pagar dívidas

POSTADO EM: Terça-Feira, 12/09/2017, 07:43:36
ATUALIZADO EM: 12/09/2017, 10:32:08

zoom_out_map
Daniel Costa/Arquivo

Como já é de conhecimento geral, a despedida precoce do Leão Azul no Campeonato Brasileiro da Série C, fará com que a gestão do clube se “coce” bastante para ir atrás de outras formas de arrecadação de dinheiro, pois, a exemplo de anos anteriores, o principal meio de entrada de verba dentro do clube ainda é por meio das bilheterias de jogos em casa. Por isso, com essa fonte de receita suspensa até o ano que vem, quando o time irá disputar o Paraense, a administração azulina terá de rebolar para não deixar o saldo ficar no vermelho – mais ainda.

Sérgio Dias deixa futebol do Leão Azul, mas presidente não aceita pedido

 Com no mínimo dois meses restantes para sanar os valores referentes às folhas de todos os funcionários, que abrange desde os institucionais aos atletas, até o final do ano, o Remo também não pode deixar de honrar seus compromissos junto a Justiça do Trabalho, que, após um grande acordo feito entre as partes, o Remo passou a ter um número maior repassado para a conta pós-jogo.

 Porém, sem ter como arcar com os pagamentos sem jogos oficiais, a perspectiva daqui para frente é que o clube invista em amistosos ou acordos particulares com cada atleta. “Sem calendário fixo, o intuito é que sejam feito os processos de rescisões com os atletas de fora. Com os daqui, com calma, haverá uma conversa. Terá que ser revisto tudo isso, amistosos... Mas ainda é muito cedo para decidir qualquer coisa”, adiantou o diretor Sérgio Dias.

VALORES PENDENTES

 - Justiça do Trabalho: R$ 74 mil mensais – até dezembro: R$ 222 mil.
- Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut): R$ 27 mil mensais – até dezembro: R$ 81 mil.
- Salário dos funcionários: R$120 mil mensais – até dezembro: R$ 360 mil.
- Salário dos jogadores e comissão técnica: R$ 310 mil mensais – até novembro: R$ 1.395 milhão. (Antes de fazer à somatória, é necessário relembrar que os jogadores ainda tinham a metade da folha de julho para receber. Sendo assim, ficariam pendentes as folhas de agosto, setembro, outubro e novembro).
- Total: R$ 2.058 milhões

PROTESTO

Com a eliminação do Clube do Remo na Série C, foi especulado durante todo o dia de ontem um possível protesto dos torcedores em frente à sede social do clube, cobrando o afastamento da atual gestão do time. Mas, apesar da força que a reivindicação teve nas redes sociais, o movimento não teve grande volume real. Cerca de 10 pessoas apenas se reuniram no local. “Não tem como permitir que esses diretores e essa presidência permaneçam. É insistir no erro. Precisamos tomar atitudes que mudem isso, pois só quem sente o impacto de tudo é o torcedor”, declarou o estudante e sócio-torcedor, Everton Quaresma.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment