zoom_out_map
(Foto: Wagner Santana)

Virada contra o Santos-AP era certeza do Papão

Quarta-Feira, 19/04/2017, 08:18:14 - Atualizado em 19/04/2017, 08:18:14

Não foi fácil para o Paysandu avançar à fase decisiva da Copa Verde, mas, ao final da partida, o técnico Marcelo Chamusca e os jogadores do Paysandu respiravam aliviados. Uma derrota e a saída do time do torneio causaria uma grande agitação na Curuzu, com toda a certeza, com algumas “cabeças” rolando antes do final do primeiro semestre. Na saída de campo, o goleiro Emerson afirmou que já esperava pela virada bicolor no segundo tempo. “Sabia que nossa equipe só precisava do primeiro gol para voltar a ter tranquilidade e conseguir os gols”, disse o arqueiro. “Chegamos ao empate e depois a virada. Falei que seria assim, quando a gente estava no intervalo da partida”, complementou Emerson.

Veja imagens

O atacante Alfredo, que marcou o seu primeiro gol na competição, festejou o resultado. “Fizemos uma boa partida e, felizmente, pude dar a minha contribuição”, disse. Contrariando opinião unanime entre quem assistiu ao jogo, o meia Diogo Oliveira chegou a afirmar que foi a melhor partida feita pelo Papão na temporada. “Só o que nos faltou no primeiro tempo foram os gols, mas eles vieram na segunda parte do jogo”, analisou o meio-campista.

SANTOS ESTÁ DE PARABÉNS

- A derrota diante do Paysandu e, consequentemente, o adeus à Copa Verde parecem ter sido encarado com naturalidade pelo técnico Élson do Rosário, o Perereca, e os jogadores do Santos-AP. Após a partida, o treinador foi abraçado por vários jogadores do Papão, que lhe renderam homenagem pela brilhante campanha feita pelo time amapaense, que é semiprofissional, bem diferente de seu adversário na semifinal do torneio interestadual.

- “Infelizmente sentimos a força do adversário no segundo tempo”, alegou Perereca, justificando a derrota de sua equipe. “Mas estamos de parabéns, pois apesar de todas as dificuldades, conseguimos fazer um grande papel na competição”, afirmou o técnico, com toda a razão. Para o jogador Bruno Lopes, o Peixe deixou escapar a chance de se classificar. “Poderíamos ter matado o jogo no primeiro tempo, quando nosso time foi bem superior”, alegou.

REFORÇOS SERÃO ANUNCIADOS ATÉ O FIM DO MÊS

A diretoria do Paysandu deve anunciar até o final deste mês os nomes dos novos contratados do clube, visando a disputa da Série B do Brasileiro. Os dirigentes tentam esconder a relação dos atletas que já teriam acertado suas vindas para a Curuzu, bem como os daqueles que estão em fase de negociações. Mas alguns desses jogadores já são dados como certos. Caso, por exemplo, do zagueiro Gualberto, que disputou o Paulistão pelo Botafogo-SP, mas que no ano passado, pela segunda vez, fez parte do elenco bicolor. Além do defensor, também já teriam firmado compromisso com o Papão o lateral-esquerdo Peri, ex-Ituano-SP, e o meia Fernando Gabriel, ex-Novorizontino-SP.

Os bicolores também estariam em acertos com o Hélder Santos, jogador que vem defendendo o Aparecidense-GO, apontado como a grande revelação do Campeonato Goiano. Já o meia Pedro Carmona, ex-Audax-SP, segundo uma fonte bicolor, teria saído dos planos por ter pedido salário acima do teto fixado pelo clube. A folha salarial do elenco do campeão paraense, hoje, gira em torno de R$ 500 mil. Como alguns dos atuais atletas serão liberados, o valor deve diminuir ao final da participação do time no Parazão e Copa Verde. A ideia dos dirigentes é ter uma folha de pagamento do grupo, no segundo semestre, com gasto em cerca de R$ 800 mil.

(Nildo Lima/Diário do Pará)

COMENTÁRIOS mode_comment

CONTINUE LENDO keyboard_arrow_down
CONTINUAR LENDO keyboard_arrow_down