MAIS BASQUETE

Na preparação para Sul-Americano, técnico frisa reconstrução da Seleção

POSTADO EM: Sexta-Feira, 10/08/2018, 21:45:02
ATUALIZADO EM: 10/08/2018, 21:45:02

zoom_out_map
Divulgação

Sala cheia, expectativa alta e pensamento positivo. Foi assim que começou, na tarde desta sexta-feira, a preparação da Seleção Brasileira de basquete feminino para o Campeonato Sul-Americano, que acontece a partir do dia 30 de agosto na Colômbia e inicia o ciclo olímpico de Tóquio 2020. As atletas se apresentaram em Campinas, São Paulo, onde foram recebidas com palavras de apoio de toda a comissão técnica, que fez questão de frisar o momento de reconstrução pelo qual passa a modalidade no país.

Desde 2006, quando o Brasil terminou em quarto lugar o Mundial disputado em casa, foram disputadas três Olimpíadas e dois outros Mundiais, com a seleção ficando fora do top 8 em todas as competições. No ano passado, Copa América e mais uma frustração: o time ficou de fora do Mundial deste ano. Por isso, a enorme necessidade de reencontrar o caminho da vitória e recolar o Brasil no cenário do basquete mundial

“Acredito que existe uma reconstrução, partindo da Liga de Basquete Feminino, do aumento no número de equipes, com possíveis retornos de jogadoras que estão jogando fora do país… Vejo com ótimo olhos esse momento. E esse foi o intuito dessa convocação. Trazer jogadoras que estão em melhores condições e mesclar com jogadoras do futuro, jogadoras jovens”, destacou o treinador da equipe, Carlos Lima, em entrevista à Gazeta Esportiva.

O primeiro passo é, portanto, o Sul-Americano. A delegação treina em São Paulo até o dia 27 de agosto, um dia antes do embarque para a cidade colombiana de Tunja. E a perspectiva é boa, de acordo com o comandante.

“A gente começa hoje (sexta-feira) a preparação para a competição mais importante que temos, que ela é classificatória para a Copa América, que é pré-olímpico. A expectativa é a melhor possível. A gente está podendo contar com jogadoras que não puderam estar conosco na última competição, como a Erika, Larissa, Nádia. Então vejo com os melhores olhos possíveis esse momento e vejo que todos estão imbuídos de um pensamento muito positivo de conquistar o Sul-Americano”, ressaltou.

Por fim, Lima exaltou a qualidade de seu grupo e agradeceu à Confederação Brasileira de Basquete pelo apoio à modalidade.

“Na convocação, a gente já sentiu que o grupo está imbuído de buscar o título, de buscar o melhor. E não tem outra forma. A gente está fazendo esse planejamento faz tempo. Estou muito satisfeito e muito feliz por ter hoje o grupo que nós convocamos. E acredito que essas são as jogadoras que hoje têm que jogar pelo país, são as que estão em melhores condições. A gente quer trabalhar muito duro, ouvir, porque nós temos que pensar no bem comum. Estou muito feliz, a CBB está aberta e a gente tem que reconstruir o basquetebol feminino no Brasil no sentido da conquista de títulos e acho que esse primeiro passo será dado com êxito”, concluiu.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Fonte: Gazeta Esportiva



COMENTÁRIOS mode_comment