COPA LIBERTADORES

Henrique valoriza “ano difícil” no Flu e agradece recepção no Corinthians

POSTADO EM: Terça-Feira, 13/03/2018, 19:20:02
ATUALIZADO EM: 13/03/2018, 19:20:02

zoom_out_map
Divulgação

O zagueiro Henrique chegou há pouco tempo no Corinthians, mas já se considera totalmente ambientado ao clube. Contente pela recepção, o jogador, que atuou nos último sete jogos como titular, conversou com a imprensa no começo da noite desta terça-feira, no CT Joaquim Grava, e parecia tranquilo até ser questionado sobre ter sido prejudicado no ano passado, quando jogava em uma defesa mais exposta, como a do Fluminense. Sério, ele fez uma análise do que passou em 2017 e valorizou o aprendizado antes de defender o Timão.

“O Corinthians tem uma cara, né, não que só se defenda, os laterais, os volantes, aqui é todo mundo .Todo mundo se dedica, ajuda um ao outro, isso faz a diferença. Ano passado teve muitas dificuldades, (o Fluminense) era uma equipe muito jovem, muitas coisas aconteceram que dificultaram muito. Aí as pessoas saem prejudicadas”, disse o jogador, com passagem pela Copa do Mundo, mas com palavras fortes a respeito do ano anterior.

“Você se dedica mais e procura se esforçar muito para que as pessoas aproveitem. Ano passado foi um ano em que eu aprendi muito, esse ano, estar aqui no Corinthians, fui muito bem recebido. Parecia que estava em casa. Mentalidade diferente, equipe diferente, e que, para nós defensores, ajuda muito”, continuou o zagueiro, já projetando o encontro com o Deportivo Lara-VEN, quarta, em Itaquera.

“Libertadores não vai existir jogo fácil, independente do time, do lugar que foi. A gente sabe que eles não venceram só por jogar em casa, mas também pela qualidade do time deles. Temos de fazer o nosso dever de casa e buscar os três pontos”, avaliou, citando, de forma genérica, os pontos fortes do adversário.

“Time rápido, de qualidade, de muita vontade, jogadores experientes também, sabemos os pontos fortes deles para neutralizar e fazer um bom jogo. Estamos cientes da equipe que vamos enfrentar, dos jogadores que podem fazer a diferença”, concluiu Henrique sobre o caso.


Fonte: Gazeta Esportiva



COMENTÁRIOS mode_comment