É GUERRA

Clube do Remo está com sangue nos olhos para voltar a vencer

POSTADO EM: Quarta-Feira, 13/06/2018, 08:26:10
ATUALIZADO EM: 13/06/2018, 08:26:10

Para sair da zona de rebaixamento e, quem sabe pensar com uma milagrosa classificação à segunda fase da competição, o Clube do Remo precisará de uma repaginada intensa dentro de campo. E é como os jogadores da equipe têm pensado. Conscientes de que a mudança depende apenas de suas apresentações, os profissionais reiteraram que, a partir de segunda-feira (18), no duelo diante do Atlético-AC, em casa, cada jogo será uma final e, dessa maneira, o espírito de guerreiro precisará estar afiado para as batalhas da competição. 

Vacaria não quer time dando bobeira no returno (Foto: Wagner Santana)

“Agora é só decisão. É jogar como se cada jogo fosse uma final. Precisamos correr atrás da pontuação e sair o quanto antes dessa situação. Ainda podemos brigar pelos nossos objetivos, mas precisamos voltar a vencer e sair dessa situação que nós estamos”, disse o goleiro Vinícius.

O clima de batalha, aliás, já afetou até os novatos. De acordo com o volante Vacaria, recém-chegado ao grupo, os adversários irão penar para tirar ponto da equipe nesse returno da competição. “São nove guerras. Não podemos perder nenhum ponto dentro de casa. O nosso pensamento hoje não pode ser iludido. Precisamos sair dessa o quanto antes. Azar do Atlético-AC, eles virão aqui sofrer. Eles vão ter que nos respeitar dentro de casa. Não pode perder ponto bobo em casa. Temos que ganhar os pontos em casa e procurar fazer fora”, ponderou o jogador.

Paciência e equilíbrio: caminho para entrar nos trilhos

Para Rodriguinho, Leão não pode mais perder tempo na Série C do Brasileiro (Foto: Samara Miranda/Remo)

A situação do Remo no grupo A, onde ostenta a lanterna da chave, é preocupante. Os sinais contra o rebaixamento, inclusive, já fora ligados, uma vez que o time fez uma das piores campanhas de todo a Série C. Porém, nesse momento, mesmo com as cobranças, os jogadores acreditam que a calmaria e a paciência precisam andar juntas, pois, apesar de a fase ser negativa, a equipe possui tempo hábil para reverter a situação e, de quebra, brigar por posição entre os quatro colocados. 

Como explicou o meio-campista Rodriguinho, nesse momento, o Remo precisa dar um passo de cada vez. “A gente precisa somar pontos, fazer o dever de casa e pensar jogo a jogo. Não adianta pensar lá na frente, no último jogo, no acesso ou na classificação, se a gente não começar a ganhar agora”, disse. “Em uma competição curta, a gente não pode ter tanto desequilíbrio, de jogar jogos muitos ruins, outros muito bons. Acho que temos condições, sim, de mudar as coisas”, destacou o jogador.

O jogador ainda reiterou a qualidade do grupo como principal ponto de partida para mudança de postura. Rodriguinho ainda destacou como injustos os últimos resultados na competição, porém, como motivadores daqui para frente. “Com a qualidade que tem nosso time, não poderíamos estar nessa posição, mas futebol a gente sabe que se não fizer os três pontos, a gente acaba ficando numa situação complicada”, lamentou.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment