COPA VERDE

Azulinos garantem que derrota para o Manaus pode ser revertida na quarta-feira

POSTADO EM: Segunda-Feira, 12/02/2018, 08:16:07
ATUALIZADO EM: 12/02/2018, 08:16:07

zoom_out_map
Samara Miranda/Remo

A partir de hoje, o Clube do Remo entra em processo final de preparação para a sua partida contra o Manaus-AM, na quarta-feira (14), pela Copa Verde. Por ter perdido o jogo de ida, por 2 a 0, para o rival, a equipe precisa de três gols de vantagem para assegurar a classificação de forma direta, rumo à segunda fase da competição. Caso o placar termine em 2 a 0 para os azulinos, a decisão será disputada nos pênaltis,. Dessa maneira, para o grupo, o único resultado que interessa é a vitória e, apesar não muito extenso, o retrospecto do Leão no certame garante que a virada é, sim, possível.

Desde 2014, quando a Copa Verde contou com a sua edição inicial, o Clube do Remo teve momentos de superação. O maior dos exemplos foi na semifinal de 2015, diante do arquirrival, o Paysandu. Na época, os remistas precisaram virar um resultado também de 2 a 0, criado pelo adversário no primeiro jogo. E foi o que aconteceu. O Leão devolveu o 2 a 0 no tempo normal e garantiu a vaga, de forma inédita, na final, depois do desempate nas penalidades.

Contudo, assim como o Clube do Remo possui experiência positiva, também conta com lembranças nada agradáveis no torneio, relativo à vantagem. Na decisão contra o Cuiabá, também em 2015, a equipe tinha feito um placar elástico de 4 a 1, em casa, colocando uma mão na taça. No segundo jogo, porém, o Dourado demonstrou que tudo é passível de mudanças, e, de forma antológica, aplicou um sonoro 5 a 1, na Arena Pantanal.

De acordo com o lateral-Levy, que esteve presente nas duas ocasiões, independentemente das dificuldades, o plantel está consciente de que tem qualidade para virar o placar. “Vai ser um jogo difícil, e não esperamos nada menos que isso. O futebol não é uma ciência exata, haja vista que tudo pode acontecer. Nada nos impede de correr atrás do prejuízo e garantir a classificação. Ainda temos 90 minutos para reverter, e temos condições para isso”, ponderou o atleta.

A SOLUÇÃO É ATACAR

Depois de estrear com a camisa azulina em um jogo com clima de decisão pela Copa do Brasil, o meio-campista Rodriguinho vai se encaminhando para mais uma titularidade, novamente com teor de final de campeonato, dessa vez, pela Copa Verde. Para alguns atletas, essa pressão constante seria algo prejudicial em campo, entretanto, segundo o jogador, esses são momentos fundamentais para o crescimento como profissional. “Isso é gostoso no futebol (pressão), jogar jogos decisivos. Faz com que a gente cresça, faz com que a gente tenha mais concentração, mais foco. Com certeza, eu não vejo lado negativo, só o positivo, é bom”, disse o meia.

Com a confiança em dia, o provável maestro para o confronto diante do Manaus-AM, garantiu que o ataque será a chave da vitória. “Temos que atacar. Temos que jogar com inteligência, intensidade, é jogo onde já começamos eliminados, atrás no placar. Então precisamos reverter essa situação, atacar. É lógico que com cobertura atrás, sabedoria. Não adianta ser de qualquer forma, mas vamos ter que buscar o gol no primeiro tempo com cuidado de não tomar”, explicou Rodriguinho.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment