DIA DE BELEZA

Candidatas disputam faixa de Miss Pará 2019; confira as participantes

POSTADO EM: Sábado, 09/02/2019, 08:05:10
ATUALIZADO EM: 09/02/2019, 09:16:21

zoom_out_map
Maycon Nunes/Diário do Pará

A 66ª edição do Concurso Miss Pará vai eleger hoje, 9, às 20h, na Sede da Associação Nipo-Brasileira, a representante do Pará no Concurso Miss Brasil 2019, previsto para o próximo dia 9 de março, em São Paulo. A edição faz uma homenagem aos 90 anos da Imigração japonesa no Pará e terá um total 18 candidatas participando da disputa, cada uma representando o seu município: Belém, Ananindeua, Benevides, Castanhal, Marituba, Barcarena, Paragominas, Ourilândia, Capanema, Prainha, Trairão, Parauapebas, Redenção, Itaituba, Tailândia, Marabá, Santarém e Bragança. A vencedora receberá a faixa das mãos da Miss Pará 2018, Ponnyk Torres.

“Todo o evento foi pensado nessa homenagem, a decoração, um verdadeiro jardim japonês, será assinada por Alberto Serruya. Essa homenagem era um desejo da fundadora do Concurso Miss Pará, a cabelereira Nilce Pinho de Carvalho, que já faleceu. Ela tinha grande respeito pela colônia japonesa, e quando assumi [o concurso] ela me pediu isso. Todos os elementos serão voltados ao tema”, explica Herculano Silva, coordenador geral do evento.


Herculano Silva, coordenador geral do Miss Pará (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)

Desfile de traje típico sera somado

Segundo Herculano Silva, coordenador geral do Miss Pará, o concurso vai muito além da beleza física: as candidatas precisam ter opinião, atitude e inteligência para lutar por causas sociais. O próprio Miss Pará sempre abraça uma causa, e parte da renda deste ano será doada ao Abrigo São Vicente de Paulo.

A abertura do evento será com as candidatas vestidas com uma coleção feita exclusivamente para o concurso pela marca Lança Perfume, com coreografia de Mauricio Quintairos. Em seguida, haverá o desfile de traje de banho, com maiôs clássicos, onde aí sim o foco está na silhueta e medidas.

“A beleza está em qualquer forma corporal. Nós queremos que a moça esteja em harmonia com a sua beleza, esteja se sentindo bonita, glamorosa e empoderada, e esse empoderamento está nessa segurança do seu corpo, na segurança emocional e psicológica. Perfeito é se sentir segura e estar bem consigo mesma. O concurso é para enaltecer a beleza da mulher em toda a sua plenitude, independente da sua forma física”, destaca Herculano.

Depois o júri, formado por sete pessoas (entre eles Marcelo Soes e Karina Ades, respectivamente coordenador e diretora geral do Miss Brasil; o cabelereiro Roberto Narciso; a Miss Pará 2001, Gerusa Fonseca; e a empresária Karine Barreto) revela as Top 15, Top 10 e Top 5 do concurso. À pontuação também será somada a nota da etapa preliminar, o desfile de trajes típicos realizado domingo passado, no Teatro Estação Gasômetro (veja fotos abaixo).

Na última e mais esperada etapa da noite, as candidatas desfilam de vestido de gala, confeccionado por estilistas de cada município. Em seguida, será feito o anúncio da vencedora, que leva a coroa, uma joia feita pela estilista Gabriela Tanus, avaliada em aproximadamente em R$ 30 mil; um anel em forma de coroa feito pelo designer da Lape Joias, de Goiânia, no valor de R$ 25 mil; a faixa feita pelo Mago das Faixas, de São Paulo; além de guarda-roupa completo, passagem, estadia e todas as despesas pagas para disputar o Miss Brasil em São Paulo, em março.

Quando receber a faixa, a nova soberana da beleza assume o posto que hoje é de Ponnyk Torres, Miss Pará 2018. “Foi um ano de muito aprendizado. Sem dúvida nenhuma eu entrei para esse concurso de uma forma e saí totalmente diferente. Eu acho que a responsabilidade que a gente adquire é gigantesca, tanto no sentido pessoal, quanto no coletivo, e foi uma experiência muito válida”, avalia Ponnyk.

Às candidatas que hoje estarão na passarela, a experiente miss deixa um recado. “Acho que todas as meninas deveriam tentar entender o que significa ser uma miss. Não somente esperar por um título, nem esperar as coisas caírem do céu. Elas têm que entender a responsabilidade que é carregar o nome de um estado, levando junto o sonho de milhares de meninas que queriam estar junto, que queriam poder fazer o que elas estão fazendo”, orienta.

--- Fotos: Maycon Nunes/Diário do Pará ---

(Aline Rodrigues/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment