ELAS TÊM A FORÇA

1º Encontro de Mulheres Artistas Paraenses quer formar rede feminina de artes visuais

POSTADO EM: Quarta-Feira, 09/01/2019, 10:33:23
ATUALIZADO EM: 09/01/2019, 10:33:23

zoom_out_map
Divulgação

Dar visibilidade ao trabalho de mulheres artistas paraenses é a missão do grupo M.AR. (Mulheres Artistas), uma rede de conexão feminina artística criada para fomentar a atuação de mulheres no campo das artes visuais, no grafite, na ilustração, no design de games, na animação, na tatuagem e na produção de quadrinhos. Para lançar o grupo, a primeira ação da rede ocorrerá nesta quinta-feira, 10, com o 1º Encontro de Mulheres Artistas Paraenses, no Núcleo de Conexões Ná Figueredo.

Durante a programação, haverá uma roda de conversa, em que as participantes irão dialogar sobre o que é ser uma mulher artista no mercado paraense, seguida de exposição coletiva e ainda comercialização de acessórios artísticos.

A publicitária Renata Segtowick, que atua como diretora de arte, é uma das organizadoras do M.AR. Há 20 anos ela também acumula experiência como ilustradora. Ela conta que o M.AR. surgiu a partir da dificuldade de se encontrar mulheres atuantes nessas áreas aqui no Pará. “No final de novembro, a gente estava preparando uma exposição apenas com mulheres, mas não conseguimos encontrar essas profissionais com esse perfil”, recorda ela sobre a exposição “Risco”, realizada no ano passado, dizendo que o encontro de amanhã, aberto ao público, é uma tentativa de criar conexões. “Neste primeiro momento, queremos conhecer as mulheres com as quais temos tido contato apenas pelo whatsApp. Em seguida, iremos dialogar com elas sobre a falta de visibilidade no mercado de trabalho”, diz Renata.

A ilustradora considera que o mercado de trabalho está passando por transformações e é necessário que a sociedade também acompanhe as mudanças para dar oportunidade de trabalho a essas mulheres. “O que vemos que acontece muito é que quando se busca nomes nessa área, os mais indicados são homens e as mulheres não são vistas nesse processo”, considera.

Outras experiências também apontaram para essa necessidade de criar essa rede, conta a artista visual Ty Silva, que também trabalha com ilustração, fotografia, tatuagem e pesquisa acadêmica. “Quando fomos fazer a exposição ‘Amor em Tempos de Ódio’ percebemos que a maior dificuldade não era a de fazer a curadoria, mas de encontrar as próprias artistas. Depois foram acontecendo eventos, e eu conversava com a organização sobre essa invisibilidade da presença feminina e sempre me diziam da dificuldade de fazer contato com elas. Então, resolvemos nos juntar. Será o primeiro encontro, para também conversarmos e trocar experiência com outras meninas”, diz Ty Silva, que organiza o grupo junto às artistas Moara Brasil, Layse Pimentel e Renata Segtowick.

Ty destaca, com a construção da rede, a possibilidade de profissionalização dessas mulheres. “Há mulheres que não sabem muitas vezes como ganhar dinheiro na área e o grupo pode ajudar a fortalecer essa aptidão. Empoderar outras mulheres, trocar experiências. Espero conhecer primeiro as meninas, saber sobre elas aqui e depois nos organizarmos enquanto artistas”, adianta. 

CHEGUE LÁ

M.A.R. 1º Encontro de Mulheres Artistas Paraenses - exposição e roda de conversa

Quando: Quinta, 10, às 19h

Onde: Núcleo de Conexões Ná Figueredo (Av. Gentil Bittencourt, 449 - Nazaré)

Quanto: aberto ao público

(Wal Sarges/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment