Música

Nathalia Petta lança novo single em Belém

POSTADO EM: Quinta-Feira, 07/06/2018, 09:02:51
ATUALIZADO EM: 07/06/2018, 09:03:51

zoom_out_map
João Carvalho/Divulgação

A cantora Nathalia Petta diz não acreditar em astrologia, mas achou que a lua cheia em Sagitário no início de junho seria uma boa ideia para lançar novidades em sua carreira. Por isso ela escolheu lançar hoje em plataformas digitais seu novo single, “Bolero Sombrio”, e celebra com show no Núcleo de Conexões Ná Figueredo, às 20h, com abertura de Lambada Hit Combo e participações de Ana Clara e DJ Lago. Esse é só o começo da agenda para o mês da cantora, que segue para uma miniturnê em São Paulo, onde participará do programa “Show Livre”, que tem exibição no YouTube e redes sociais, e faz uma apresentação no pub Breve Pompeia. 

“Acredito que conexões são importantes e foi fazendo novas delas que encontrei um caminho diferente para a minha carreira. Estamos produzindo muitas músicas novas e lançar o ‘Bolero Sombrio’ é só um começo do que vem por aí ainda este ano. A lua em Sagitário ajudou”, diz a artista. 

O novo single da cantora traz uma letra sensual que fala sobre a descoberta de uma paixão proibida e nova. A música mistura riffs de guitarra densos e sombrios contrapondo ao suíngue e a acordes com referências em ritmos além do rock que Nathalia trilha, como o bolero e o lundu marajoara, e a letra foi composta pela cantora em parceria com Camillo Royalle, que integra a banda que acompanha na guitarra, ao lado de Melly Rossas (bateria), Renata Beckman (guitarra) e Ícaro Suzuki (baixo). 

“A parceria com a Nathalia é bem natural. Na maioria das vezes ela já vem com a melodia e vamos trabalhando com a banda a visão que ela trouxe da música. Cada instrumentista colocou um pouco de si na música e no fim ficou bem interessante. A minha parte (guitarra) só queria que soasse fantasmagórico (risos)”, brinca Camillo. 

“Acredito que do EP de estreia para cá muita coisa amadureceu. Eu dei novos passos, vivi muitas novas experiências e tudo se modificou. Hoje vejo minhas músicas cada vez mais com uma identidade própria, que mistura o rock com elementos da cultura popular. Chamar uma música de bolero é algo arriscado, porque nem chega a ser isso, mas quem sabe o que é cada coisa? O que eu sei é que agora essas músicas têm força e gingado, e isso parece muito o que eu sou agora”, analisa a cantora.

(Mayara Albuquerque/Especial para o Você)



COMENTÁRIOS mode_comment