GERSON NOGUEIRA

Gerson Nogueira analisa preparação remista e bicolor para temporada 2019

POSTADO EM: Segunda-Feira, 21/01/2019, 09:50:00
ATUALIZADO EM: 21/01/2019, 09:50:00

zoom_out_map
Mauro Ângelo

Leão busca o ajuste perfeito

 O Remo jogou em Santa Izabel, venceu por 3 a 0, placar mais dilatado da fase de preparação. Agradou pela movimentação, mas continua indefinido quanto ao time titular para a estreia no Campeonato Estadual, no próximo sábado, em Santarém, diante do São Raimundo.

Mais que o resultado, o amistoso valeu pela oportunidade que João Neto teve para observar e tirar suas dúvidas. Com 31 jogadores à sua disposição (21 importados), o técnico busca encontrar no grupo as peças certas para ajustar o time conforme seu plano de jogo.

No ano passado, ao assumir o comando no Brasileiro da Série C em condições desfavoráveis – sem tempo para mudanças profundas e necessitando vencer a qualquer custo –, Neto optou por aperfeiçoar princípios que tinham sido implantados por Artur Oliveira, principalmente na estrutura de meio-de-campo.

Foi muito bem sucedido ao compactar mais o setor, usando quatro homens na linha central, com os meias tendo liberdade para se lançarem ao ataque para robustecer o setor reconhecidamente mais fragilizado do time naquele momento. Tinha também Gabriel Lima como o atacante que podia voltar ante a necessidade de fechar a marcação.

Desta vez, o tempo conspira a favor e a pressão não é desesperadora. Netão sabe que o trabalho tem prazo de validade e que o Parazão será determinante para sua permanência no comando. A meta é realizar uma campanha convincente, capaz de repetir o êxito de 2018. Todo mundo sabe que título é consequência de uma boa trajetória, mas é fato também que o torcedor não admite outro resultado final.

E é aí reside o fator de risco para o jovem técnico. O time que irá escalar para o Parazão é, a rigor, o primeiro a levar sua assinatura como comandante efetivo. É verdade que no ano passado foi dele a influência discreta que permitiu a Givanildo Oliveira salvar a campanha errática e obter a conquista do campeonato.

Na Série C, pegou o bonde andando, embora sempre estivesse por perto, colaborando com os técnicos que iniciaram a caminhada. Depois, ao assumir a equipe, viu-se obrigado a trabalhar com os jogadores disponíveis adaptados às necessidades circunstanciais que o time tinha.

Para 2019, os atletas trazidos tiveram o aval do treinador e a montagem da equipe é de sua exclusiva responsabilidade. Daí a visível preocupação, reafirmada após o jogo em Santa Izabel, de avaliar minuciosamente as condições físicas e técnicas dos jogadores, dando chance a todos para que mostrem suas qualidades dentro da pré-temporada.

Pelo que se observa dos times formados para os amistosos contra o Castanhal (1 a 1), seleção de Barcarena (2 a 0) e Santa Izabel (3 a 0), Netão trabalha com a ideia de um 4-4-2 que permita variações para o 4-5-1 ou o 4-3-3, dependendo da situação de jogo.

As mudanças feitas nos três jogos dão a entender que a escalação mais provável para a estreia em Santarém será: Vinícius; Djalma, Mimica, Fredson e Ronael; Robson (Vacaria), Samuel, Etcheverría e Alex Sandro; David Batista e Mário Sérgio (Henrique). 

Djalma parece definitivamente fixado na lateral-direita, David Batista confirmou a condição de centroavante de boa presença na área e Etcheverría mostrou-se mais adaptado à função de ajudar o ataque.

Os ajustes devem ser finalizados ao longo da semana, mas o torcedor remista em Belém só terá condições de avaliar de perto o novo time quando fevereiro chegar – o confronto com o Independente deve ocorrer no domingo, 3.

Treinos intensivos para compensar falta de testes

O Papão de João Brigatti não demonstra angústia quanto ao começo do Estadual, mesmo sem ter realizado amistosos de preparação. Pelo pouco tempo dedicado aos treinos, o torcedor se mostra mais preocupado, receando tropeços nas primeiras rodadas. Ainda que o risco exista, há o fator campo a tranquilizar a comissão técnica – os dois primeiros jogos serão realizados na Curuzu, contra o São Francisco, quarta-feira (23), e Bragantino, domingo.

A dúvida que segue pendente é quanto ao dono da camisa 10, que deve ser Tiago Primão, ainda dependendo de detalhes burocráticos de transferência para ser oficialmente anunciado e inscrito para o Parazão.

Nas demais posições da equipe, apenas uma certeza: Perema deve ser o único jogador nativo. Os demais titulares serão inevitavelmente atletas recém-chegados ao clube e à realidade amazônica de muitas chuvas e gramados enlameados que caracterizam o campeonato.

Visitantes indigestos na rodada inaugural

Dos três jogos que abriram o Parazão, destaque absoluto para os visitantes. O Águia beliscou um empate dentro do estádio Barbalhão, parando o São Raimundo e causando um desassossego no torcedor alvinegro.

O Paragominas foi além. Diante de um estádio Diogão lotado, superou o Bragantino de virada no 2º tempo. O gol da vitória instaurou a primeira polêmica da competição: há dúvida se o chute de Bilau transpôs mesmo a linha fatal.

Em Castanhal, o Independente não tomou conhecimento dos donos da casa e impôs uma vitória sem contestações.




COMENTÁRIOS mode_comment