OPINIÃO

Objetivo e frio, Papão define jogo e supera sustos

POSTADO EM: Segunda-Feira, 30/04/2018, 08:21:56
ATUALIZADO EM: 30/04/2018, 08:21:56

Do outro lado da Almirante Barroso, o ambiente é de festas e fanfarras. Com toda razão. O Papão cumpre campanha surpreendente e irretocável na Série B. São três vitórias em três jogos, garantindo lugar no grupo de elite da classificação e passando a desfrutar do respeito que os vencedores inspiram. No sábado à tarde, na Curuzu, o time passou por um teste de nervos diante do Brasil-RS, sofrendo alguns sustos e levando bolas na trave, sem perder a compostura e o foco.

Com frieza, o time de Dado Cavalcanti fez seus gols antes da primeira meia hora, em menos de quatro minutos (aos 20 e 24 minutos), decretando ali o caminho da vitória. O Brasil descontou em seguida, aos 27’, mas esse contratempo não abalou o Papão, que manteve a proposta de atrair o adversário e sair em velocidade ao ataque. 

O jogo evidenciou que o esquema com três zagueiros está definitivamente aprovado, com a melhoria de rendimento de Diego Ivo, Perema e Edimar e as opções que o time ganha com a segurança defensiva. Falta ainda aperfeiçoar o trabalho dos alas, ainda inconstantes e dados a sumiços, principalmente Miller.

No centro da segunda linha, Carandina e Renato Augusto estão afinados, produzindo o que nunca produziram no PSC. Renato, inclusive, fugindo às suas características, apareceu na frente para marcar o gol de abertura, raspando de cabeça um cruzamento vindo do lado esquerdo.

Cassiano vive momento iluminado. Confiante, joga em alto nível, evoluindo nos deslocamentos sem bola e criando problemas para a zaga inimiga mesmo quando a jornada não lhe é inteiramente favorável. Fez o gol, cobrando pênalti sofrido por Mateus Silva, e poderia ter feito mais caso a sorte ajudasse em dois outros lances.

Acima de todos, porém, esteve Mike, incansável no vaivém entre meio-campo e ataque, nos lançamentos e toques de primeira. Utilíssimo no atual desenho do time, que não conta com um armador de ofício.

Claudinho estreou bem. Participou das articulações e exibiu qualidades para integrar a força-tarefa ofensiva junto com Cassiano e Mike, substituindo a Moisés. Thomaz entrou depois e não fez feio, embora tenha sido mais discreto.

Imaginava-se que o desenrolar da competição poderia intimidar o Papão ante a evolução técnica das demais equipes. Com três rodadas realizadas, o time mantém o trem inicial e não se afasta da rota traçada por Dado. Absorve bem a pressão e sai rápido. Se caprichar na aproximação entre as linhas, vai se tornar melhor ainda.

Com a mesma pontuação dos líderes, o PSC pode chegar à frente na próxima rodada jogando em São Luís contra um Sampaio Corrêa mergulhado em séria crise técnica.



COMENTÁRIOS mode_comment