OPINIÃO

Rodada quase sem suspense

POSTADO EM: Domingo, 18/03/2018, 10:10:08
ATUALIZADO EM: 18/03/2018, 10:18:15

zoom_out_map
Carlos A.

Como os quatro semifinalistas já são conhecidos, a rodada desta tarde perdeu o caráter emocionante que poderia ter. A principal indefinição, que reinou até três dias atrás, dizia respeito ao local e dia do jogo entre Cametá x Remo, finalmente confirmado para o Parque do Bacurau no mesmo horário dos demais.

A outra questão em aberto é a definição da vaga ao rebaixamento no grupo A2, entre Parauapebas e Paragominas. Ambos têm a tarefa inglória de decidir a sorte fora de casa, contra Bragantino e PSC, respectivamente, os dois melhores do grupo A1.

Nos demais jogos, resta a expectativa do São Raimundo em relação ao 1º lugar de seu grupo. Três pontos atrás do Remo, com uma vitória a menos e saldo de gols inferior (7 a 4), o Pantera pode inverter as posições caso vença o Castanhal por mais de dois gols de diferença e os azulinos percam em Cametá.

De maneira geral, porém, a 10ª rodada terá times modificados pelas circunstâncias e a antecipação de desmanche de alguns elencos, como ocorre com o Independente. No caso do PSC, por exemplo, Dado Cavalcanti poderá poupar alguns titulares já observando as batalhas da semifinal, além de ter a chance de observar alguns reservas.

No Bragantino, adversário bicolor na próxima fase, a chance de uma reviravolta na classificação da chave – que permitiria o segundo jogo em Bragança – é praticamente impossível, visto que tem uma vitória a menos que o Papão e uma expressiva desvantagem no saldo de gols, 9 a 1.

Daí surgir a perspectiva de Arthur Oliveira experimentar um time com eventuais substitutos de Paulo Ricardo, Alan Calberg e Aslen, atletas emprestados pelo PSC e que estão impedidos (pelo velho e questionável “acordo de cavalheiros”) de enfrentar o clube de origem.



COMENTÁRIOS mode_comment