GERSON NOGUEIRA

Leia a coluna de Gerson Nogueira deste domingo (11)

POSTADO EM: Domingo, 11/03/2018, 11:17:38
ATUALIZADO EM: 11/03/2018, 11:17:38

zoom_out_map
Fernando Araújo

O valor da tradição

Leão e Papão fazem um clássico curioso neste domingo. Vale como se fosse uma decisão, mas não decide absolutamente nada, pois esta é a 9ª rodada da fase de classificação e ambos já estão assegurados nas semifinais do Estadual. Cabe entender, porém, que o confronto é e será sempre decisivo, conforme manda a tradição alimentada por secular rivalidade.

Nelson Rodrigues disse certa vez que o Fla-Flu surgiu 40 minutos antes do nada. Pode-se dizer que o Re-Pa segue igual trilha mística, talvez em grau até mais acentuado de emoção, visto que são apenas duas torcidas a dividir os amores de uma população e no Rio a rivalidade se espraia por quatro.

Para o segundo embate da temporada, o Papão traz um peso maior nas costas, pois a torcida não admite nova derrota. Desde que Dado Cavalcanti assumiu, o time joga com grande aplicação, mantendo-se invicto há cinco jogos, com cinco vitórias, 15 gols pró e quatro sofridos.

Dado teve o mérito de valorizar e fazer Mike jogar e de apostar na juventude de William. E a ausência deste último (por lesão) é o grande problema para o clássico, por enfraquecer a marcação. Por outro lado, a evolução de Walter pode atenuar essa perda. O atacante caiu nas graças da torcida, principalmente depois de marcar contra o Santos-AP.

Aliás, Walter pode vir a ser o grande personagem do Re-Pa, mesmo que jogue somente nos minutos finais. A curiosidade inicial sobre seu rendimento em campo vem dando lugar a um crescente entusiasmo dos torcedores quanto ao potencial dele como reforço para utilização imediata.

No Remo, Givanildo Oliveira é a novidade. Sua presença restituiu a estabilidade técnica, seriamente ameaçada desde as eliminações na Copa do Brasil e Copa Verde. Com ele no comando, o time conseguiu vencer seu primeiro jogo no interior desde o ano passado.

No primeiro clássico, o Remo foi mais vibrante, extraindo daí condições para superar um rival tecnicamente superior. Dono da melhor campanha, o PSC continua alguns degraus acima, mas fatores como alma e gana podem falar mais alto, e não dependem da qualificação dos jogadores.

Gangues não sabem torcer, apenas matar 

Soa incompreensível a excessiva boa vontade das autoridades policiais e do Ministério Público para com as lideranças das gangues uniformizadas que infestam e aterrorizam os estádios. É preciso compreender que o velho conceito de “torcida organizada” já morreu faz tempo.

CBF velha de guerra não aprende nunca

Mesmo banido oficialmente por 90 dias, Marco Polo Del Nero – aquele que nunca viaja para o exterior – manobrou os pauzinhos e conseguiu emplacar seu sucessor no comando da CBF. O anúncio do ungido Rogério Cabloco ocorreu na sexta-feira, sendo que o arranjo será sacramentado a 16 de abril.

Todos os eleitores com assento no restrito colégio eleitoral da entidade já foram devidamente “convencidos” a apoiar o nome indicado por Del Nero. Somente os votos dos presidentes de federações, num total de 81 (contando com o peso 3 dado a cada um dos 27), já garantem o regabofe da vitória.

Como a provar que o ruim sempre pode piorar, a CBF bolou um festivo “trem da alegria” para a Copa, sem nenhum pudor. Os 27 presidentes de federações, mais 10 (PSC na lista) representantes de clubes escolhidos em sorteio, irão ao Mundial da Rússia com todas as despesas pagas. O custo total da quermesse gira em torno de R$ 3 milhões.

Bola na Torre

O programa será inteiramente dedicado à análise do choque-rei da Amazônia. Giuseppe Tommaso apresenta, com participação de Valmir Rodrigues e deste escriba baionense. Começa às 21h, na RBATV.Prevalece hoje uma luta sangrenta por espaço e poder nos grupos de arruaceiros adeptos da dupla Re-Pa. A execução de um dos chefes, na sexta à tarde, após reunião no Comando da PM, é emblemática do cenário de conflagração criminosa que os poderes constituídos fingem não ver.



COMENTÁRIOS mode_comment