zoom_out_map
(Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)

Atuação fraca, estreia 100%

Segunda-Feira, 15/05/2017, 07:26:39 - Atualizado em 15/05/2017, 08:32:57

Apesar da falta de entrosamento e do baixo rendimento fraco da maioria dos estreantes, o Remo saltou uma fogueira ao estrear ontem na Série C. Contra o Fortaleza, principal adversário na luta pela classificação, o time de Josué Teixeira resistiu como pôde às investidas do visitante e acabou chegando à vitória com um gol de pênalti já na metade do segundo tempo.

Inteiramente modificado, com sete novidades na escalação, era natural que surgissem problemas de sincronização entre defesa, meio e ataque. Só não se imaginava que os jogadores errassem tanto nos passes e desarmes.

Durante o primeiro tempo, o Fortaleza foi bem mais presente ofensivamente, com ataques perigosos e que só não resultaram em gol pela boa presença do zagueiro Bruno Costa, o melhor dos novatos, e também por uma crônica dificuldade de finalização dos atacantes cearenses.

Ainda assim, logo no começo do 2º tempo, Iago perdeu uma oportunidade clara de gol após descuido de marcação da defesa remista. Aos 28’, já com Gabriel Lima em campo, substituindo a Mikael, surgiu o gol azulino.

O lance nasceu de uma falha da zaga, após chutão de Tsunami em direção ao ataque. Edgar avançou com a bola e foi tocado por um zagueiro quando ia finalizar. Nino Guerreiro cobrou o pênalti e botou o Remo em vantagem.

De maneira geral, estreias são naturalmente difíceis, principalmente contra adversários tradicionais, mas o excesso de estreias quase complicou a vida do Leão. Reformulado e de técnico novo (Paulo Bonamigo), o Fortaleza teve domínio das ações e demonstrou maior aproximação entre os setores.

O Remo não encaixou nenhuma boa jogada de aproximação. Daniel Damião errou muito na lateral direita e Tsunami se afobava nas jogadas pela esquerda. No meio, Danilinho limitou-se a passes laterais e não pareceu ser o camisa 10 capaz de arrumar o setor de criação. Kaio Wilker, que o substituiu, também não mostrou rigorosamente nada.

O Fortaleza só não foi mais perigoso porque seus atacantes eram dispersivos demais e quase não arriscavam chutes de fora da área.

Ficou para o Remo, além do grande resultado, a certeza de que muitos dos que disputaram o Estadual ainda terão utilidade na Série C. Dos estreantes só Bruno Costa e Nino Guerreiro mostraram qualidades. Edgar foi, de novo, o jogador mais decisivo, sempre num nível acima dos demais.


COMENTÁRIOS mode_comment

CONTINUE LENDO keyboard_arrow_down
CONTINUAR LENDO keyboard_arrow_down